17% DOS BRASILEIROS FICARAM COM NOME SUJO POR DÍVIDAS CONTRAÍDAS NO NATAL PASSADO

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito – SPC Brasil – mostrou que 17% dos brasileiros ficaram com o nome sujo, em 2015, por causa de dívidas contraídas no Natal de 2014.

Isso ocorreu com você ou com alguém de sua família?

O descontrole financeiro no final do ano, por conta das festas, comemorações, estímulo para comprar, facilidade de parcelamento, repercute durante longo tempo no bolso de muitas pessoas.

Para muitos indivíduos, as consequências são tão negativas que não conseguem cumprir seus compromissos, o que causa a inclusão do nome em cadastros de proteção ao crédito.

Essa constatação é mais evidente entre as classes C, D e E, que costumam ser as mais carentes em educação financeira.

A pesquisa também evidenciou que 56% dos consumidores inadimplentes sequer sabem o valor das dívidas que os deixaram nessa situação.

Esse desconhecimento, na maioria das vezes, tem a ver com o uso do cartão de crédito em parcelas a perder de vista.

O parcelamento mascara o valor real devido, e ainda “atropela” outras contas que surgem ao longo do tempo.

A situação torna-se ainda mais complicada quando não há organização financeira por meio de um orçamento familiar. As dívidas crescem ainda mais com a chegada das contas sazonais, como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar.

Segundo Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil:

O orçamento doméstico costuma apertar no começo do ano com a cobrança de impostos como IPTU, IPVA e despesas com matrícula e material escolar. Se a pessoa não tiver controle de seu orçamento e gastar com compras valores acima da sua capacidade de pagamento, ela pode acabar ficando inadimplente. – Marcela Kawauti

Por isso, aprenda a fazer seu orçamento pessoal ou familiar hoje mesmo. Clique aqui!

Uso do cartão de crédito

dividas-cartoes-de-credito-natal

O cartão de crédito faz parte do cotidiano de muitas pessoas, mas nem todas têm consciência de como utilizar adequadamente esse recurso.

A citada pesquisa mostrou que 52,4% dos entrevistados têm o hábito de dividir as compras dos presentes de Natal em várias prestações.

A média para o Natal de 2015 é de 5 parcelas. Ou seja, as compras de Natal serão quitadas apenas em meados de maio. Até lá, há diversos outros gastos que aumentarão o valor da fatura do cartão: as contas sazonais, carnaval, Páscoa, Dia das Mães, etc.

Por isso é tão importante fazer um planejamento financeiro a fim de verificar a viabilidade desse parcelamento.

Marcela Kawauti ainda aponta uma outra complicação comum para o bolso dos brasileiros: o não pagamento integral da fatura.

O cartão é uma excelente maneira de parcelar as compras, mas deve ser muito bem utilizado, sob o risco de pagar juros excessivamente altos caso o consumidor não pague o valor integral da fatura. – Marcela Kawauti

Muitos desconhecem os juros exorbitantes dos cartões de crédito, que podem passar de 400% ao ano. Evite pagar apenas o valor mínimo da fatura, você poderá se complicar muito.

Apenas a título de comparação desse abismo dos juros, a caderneta de poupança fornece um rendimento anual próximo dos 8%.

Dicas para evitar endividamento no Natal

dividas-presentes-natal

O SPC Brasil também forneceu dicas valiosas para evitar o endividamento com as compras de fim de ano.

  • Antes de ir às compras, faça um levantamento de suas dívidas;
  • Fixe um valor máximo para gastar com presentes;
  • Evite parcelar em muitas vezes;
  • Evite as compras por impulso;
  • Não banque a ceia de Natal sozinho(a) para impressionar as pessoas;
  • Planeje-se com antecedência.

Veja as dicas completas neste link.

Neste Natal, portanto, não assuma gastos fora de sua realidade financeira. Compre com consciência para não se arrepender em 2016.

Fonte: SPC Brasil.