INVESTIMENTOS PARA INICIANTES: QUAIS SÃO? QUANTO PAGAM? ONDE ESTÃO?

No primeiro artigo sobre investimentos – Investir para crescer: primeiros passos para acumular riqueza – foram apresentadas razões para você investir seu dinheiro e também em conhecimento, de forma a crescer integralmente.

Além disso, também mostrou-se a diferença entre poupar e investir, se vale a pena investir pouco dinheiro, sobre aplicações pré e pós-fixadas e como calcular a rentabilidade de uma aplicação.

Essa primeira parte é importante para formar o arcabouço dessa nova etapa de sua vida. Muitas coisas vão mudar a partir do momento que você se dedicar, pelo menos um pouquinho, ao estudo.

É sempre oportuno repetir: não basta investir apenas dinheiro. Se agir dessa forma, sempre dependerá da opinião de fulano, da indicação de sicrano, do investimento imperdível e mágico de beltrano.

As consequências de deixar suas decisões financeiras nas mãos de outras pessoas podem ser desastrosas para você.

Isso não quer dizer que não deva ouvir a opinião alheia. A grande questão é você adquirir a capacidade de discernimento para tomar a melhor decisão em relação a seus investimentos, de acordo com suas necessidades, mesmo com diversas opções disponíveis.

Por esse motivo, este artigo vai abordar pontos essenciais para auxiliar a compreensão de diversos aspectos, como:

  • Opções de investimentos;
  • Onde encontrar as aplicações;
  • Comparação de rentabilidade.

Pronto para dar mais um passo em prol de seu crescimento?

 

Opções de investimentos

opções-investimentos

Imagino que você já se convenceu da necessidade de mudar os rumos de suas aplicações, ou iniciá-las, certo?

Guardar o dinheiro no cofrinho e/ou na caderneta de poupança, a fim de gerar patrimônio, não são escolhas acertadas.

No entanto, a caderneta de poupança ainda deve ser utilizada por você para algo importante: reserva de emergência.

Essa reserva será seu socorro para ocasiões imprevistas. Ao fazer seu orçamento familiar, leve em conta esse aporte.

Agora serão apresentados alguns investimentos para aumentar seu poder de escolha. Existem outras aplicações disponíveis, mas, por enquanto, vamos nos ater a estas.

 

Letra de Crédito Imobiliário – LCI

O que é?

As LCI são títulos de crédito lastreados por crédito imobiliário, garantidos por hipoteca ou por alienação fiduciária de imóvel.

É um instrumento financeiro para captação de recursos para o financiamento imobiliário.

Ou seja, quando você compra títulos de LCI, empresta dinheiro para aquisição de imóveis por outras pessoas, e recebe juros por isso.

Risco

Como aplicação de renda fixa, coberta pelo Fundo Garantidor de Créditos – FGC, as LCI são consideradas de baixo risco.

Caso a instituição financeira não honre o compromisso assumido, seja por qualquer motivo, você terá seu dinheiro de volta devido à cobertura do FGC, mas até o limite de R$ 250 mil.

Para ter garantido esse retorno, caso ocorra algum problema, verifique se a corretora ou banco possui o selo Cetip Certifica.

→ Prazo

Toda LCI possui um prazo para resgate. Observe esse item para não ter problemas caso necessite de liquidez.

A Resolução nº 4.410, do Banco Central, de 28/05/2015, estipulou os prazos mínimos de vencimento da LCI nos seguintes termos:

  • 36 meses, quando atualizada mensalmente por índice de preços;
  • 12 meses, quando atualizada anualmente por índice de preços; e
  • 90 dias, quando não atualizada por índice de preços.

Ou seja, as LCI indexadas pelo CDI podem ter liquidez diária a partir de 90 dias, mas isso dependerá de cada instituição.

→ Rentabilidade

O retorno do investimento vai depender das condições contratadas.

As LCI podem ser pré e pós-fixadas, embora essa última opção seja a mais difundida. Normalmente, as aplicações são atreladas a uma porcentagem do CDI, mas é possível encontrar indexação ao IPCA e ao IGPM também.

» DICA 1: Calcule a rentabilidade de LCI (e LCA) pós-fixada pelo simulador do Clube dos Poupadores.

→ Valor mínimo

As aplicações em LCI costumam ter um valor mínimo, que varia de acordo com a instituição.

É possível começar com valores mais baixos: R$ 1 mil, R$ 5 mil, R$ 10 mil.

→ Tributação

As LCI são isentas de Imposto de Renda e de IOF.

 

Letra de Crédito do Agronegócio – LCA

→ O que é?

As LCA são muito parecidas com LCI em diversos aspectos, mas têm o objetivo de financiar o agronegócio.

Dessa forma, estão relacionadas a direitos creditórios de negócios entre produtores rurais, produção, comercialização, industrialização de insumos e máquinas, entre outros.

→ Risco

Mesmas premissas das LCI. São também de baixo risco e protegidas pelo FGC.

→ Prazo

As LCA também possuem prazos mínimos diversos, então a mesma recomendação se aplica.

A Resolução nº 4.410, do Banco Central, de 28/05/2015, também estipulou os prazos mínimos de vencimento da LCA nos seguintes termos:

  • 12 meses, quando atualizada anualmente por índice de preços; e
  • 90 dias, quando não atualizada por índice de preços.

As LCA indexadas pelo CDI podem ter liquidez diária a partir de 90 dias, mas isso dependerá de cada instituição.

→ Rentabilidade

Da mesma forma que a LCI, a rentabilidade dependerá das condições contratadas.

» DICA 2: As melhores taxas não estão nos grandes bancos.

→ Valor mínimo

As aplicações em LCA também costumam ter um valor mínimo, que varia de acordo com a instituição.

Assim como nas LCI, é comum encontrar valores mínimos a partir de R$ 1 mil.

→ Tributação

As LCA são isentas de Imposto de Renda e de IOF.

 

Certificado de Depósito Bancário – CDB

→ O que é?

Você já deve ter percebido que os bancos captam dinheiro para emprestar a outras pessoas. Com o CDB não é diferente.

Esses certificados fazem parte da modalidade de depósito a prazo e são emitidos pelos bancos, com prazo e remuneração definidos no momento da aplicação.

→ Risco

Também é considerado de baixo risco e é protegido pelo FGC até o valor de R$ 250 mil.

→ Prazo

O CDB possui, também, um prazo para resgate, que pode variar de acordo com a instituição. É comum encontrar títulos com liquidez diária, mas que remuneram menos.

→ Rentabilidade

O CDB pode ser pré ou pós-fixado. O indexador mais comum para os títulos pós-fixados é o CDI, embora haja títulos atrelados ao IPCA ou IGPM.

→ Valor mínimo

As aplicações em CDB costumam ter valores mínimos mais acessíveis.

É possível encontrar valores mínimos mais baixos, até mesmo abaixo de R$ 500,00.

→ Tributação

O CDB possui incidência regressiva de imposto de renda, ou seja, a porcentagem dependerá do prazo de cada título.

tabela-IR-regressivo

 

Também há incidência de IOF regressivo nos primeiros 30 dias da aplicação. Consulte a tabela.

Importante lembrar que o IR e o IOF incidem apenas sobre os rendimentos, não sobre o valor principal da aplicação.

 

Recibo de Depósito Bancário – RBD

→ O que é?

RDB também é um título de captação de recursos de bancos, de forma a emprestar a outras pessoas em troca de determinada rentabilidade.

É um título intransferível e não é admitida a negociação no mercado secundário.

→ Risco

Por ser protegido pelo FGC, também é considerado de baixo risco.

→ Prazo

Os títulos possuem prazos definidos, mas pode ser resgatado junto à instituição financeira antes do prazo contratado, desde que decorrido o prazo mínimo.

→ Rentabilidade

Também pode ser pré ou pós-fixada. A rentabilidade dependerá das condições contratadas.

→ Valor mínimo

As aplicações em RDB, assim como as demais, costumam ter um valor mínimo, que varia de acordo com a instituição.

É comum encontrar valores mínimos a partir de R$ 1 mil.

→ Tributação

O RDB possui incidência regressiva de imposto de renda, ou seja, a porcentagem dependerá do prazo de cada título.

tabela-IR-regressivo

Também há incidência de IOF regressivo nos primeiros 30 dias da aplicação. Consulte a tabela.

Importante lembrar que o IR e o IOF incidem apenas sobre os rendimentos, não sobre o valor principal da aplicação.

Você está gostando deste artigo?

Então escreva seu e-mail abaixo e receba todas as novidades do blog gratuitamente!

 

Letra de Câmbio – LC

→ O que é?

De forma simplificada, a LC é um título muito parecido com outros de renda fixa, mas é, geralmente, emitido por financeiras e possui como lastro os contratos de financiamento.

→ Risco

Da mesma maneira, a LC é protegida pelo FGC, por isso é considerada de baixo risco.

→ Prazo

Assim como os demais, as LC possuem prazo definido, por isso é importante verificar sua necessidade de liquidez.

→ Rentabilidade

Pode ser pré ou pós-fixada (normalmente indexada ao CDI).

→ Valor mínimo

As aplicações em LC costumam ter um valor mínimo, que varia de acordo com a instituição.

É comum encontrar valores mínimos a partir de R$ 1 mil.

→ Tributação

Segue a tabela regressiva de IR.

tabela-IR-regressivo

Também há incidência de IOF regressivo nos primeiros 30 dias da aplicação. Consulte a tabela.

Importante lembrar que o IR e o IOF incidem apenas sobre os rendimentos, não sobre o valor principal da aplicação.

Tesouro Direto

→ O que é?

Anteriormente, vimos títulos privados cuja função era captar dinheiro para os bancos emprestarem a outras pessoas.

No caso do Tesouro Direto, há os títulos públicos que ajudam a financiar investimentos do Governo em educação, saúde, infraestrutura, etc..

Ou seja, você compra títulos da dívida pública federal em troca de certa rentabilidade, que varia ao longo do tempo, mas que é garantida se você resgatar apenas em seu vencimento.

Confira mais informações no vídeo explicativo abaixo:

 

→ Risco

Pode parecer difícil de acreditar, mas os títulos do Tesouro Direto são os mais seguros do mercado. Saiba mais sobre isso aqui.

Não há cobertura pelo FGC, mas sim pelo próprio Tesouro Nacional.

→ Prazo

Cada título do Tesouro Direto possui um prazo de vencimento já determinado. Assim, você opta por um título de acordo com seus objetivos financeiros.

Há títulos com vencimento em 2019, 2021, 2024, 2026, 2035, 2050 e outros.

É possível resgatar qualquer título antes do prazo, mas, para fazer isso sem perdas, é necessário um pouco mais de conhecimento sobre o funcionamento do Tesouro Direto, sem contar o pleno controle de seu planejamento financeiro.

Ainda sobre o resgate antecipado, não é possível escolher o título a ser resgatado. Obrigatoriamente, o Tesouro Direto vende do título mais velho (comprado primeiro) para o mais novo, de forma a sempre incidir a menor alíquota de imposto de renda possível.

→ Rentabilidade

O tesouro possui títulos pré e pós-fixados, conforme a tabela abaixo:

titulos-tesouro-direto

 

O Tesouro Selic é um título indexado à taxa Selic, é considerado o mais conservador do Tesouro Direto por não apresentar rentabilidade negativa mesmo com a variação da Selic.

Por esse motivo, muitas pessoas preferem migrar da caderneta de poupança para o Tesouro Selic devido à sensação de segurança oferecida.

Como você deve imaginar, quanto mais conservador, menor a rentabilidade. É indicado para quem não sabe exatamente quando vai resgatar o dinheiro.

Antes de comprá-lo, observe se a tendência da Selic é de alta ou de baixa, pois ela afetará diretamente a rentabilidade do título.

O Tesouro Prefixado é um título cuja rentabilidade é conhecida no momento da compra, caso você resgate o título apenas em seu vencimento.

De antemão, você já sabe que receberá, no vencimento, R$ 1.000,00 por cada título comprado. Esse é o valor final de cada um.

O Tesouro Prefixado tem uma opção de título com juros semestrais. Isso significa que a cada 6 meses o seu título vai pagar cupons, que representam a antecipação da rentabilidade contratada.

O Tesouro IPCA é um título que oferece reposição da inflação, ou seja, ele paga a inflação mais uma taxa prefixada. Por isso, podem ser chamados de títulos mistos.

É uma boa alternativa para não perder poder de compra, o que tem ocorrido com muitos investimentos, como a própria caderneta de poupança.

No entanto, é preciso conhecer como funcionam esses títulos para não perder dinheiro.

Também há opção de Tesouro IPCA com juros semestrais. Da mesma forma que no caso anterior, a cada 6 meses você receberá cupons, que são a antecipação da rentabilidade do título.

O Tesouro IPCA possui títulos curtos e longos. Quanto mais longo, mais volátil ele é, ou seja, maior variação de preço com a mudança das taxas.

Isso significa que você pode ter perdas expressivas caso escolha determinado título e precise resgatá-lo antes do vencimento, em períodos em que a taxa de mercado esteja maior que a contratada.

Para entender melhor, é preciso perceber que o valor do título é inversamente proporcional à taxa, ou seja, quanto menor a taxa, maior é o valor do título; quanto maior a taxa, menor é o valor do título.

Quando você vende antecipadamente, o preço que o Tesouro Direto paga é o de mercado. Por isso, toda atenção ao comprar. Aliás, não invista em Tesouro Direto se não entender como ele funciona.

No entanto, não utilize isso como desculpa para não aprender, por parecer muito complexo ou por medo de perder dinheiro. O pior caminho que você pode escolher é o da ignorância, portanto, estude!

Quer se aprofundar mais em Tesouro Direto, conhecer detalhadamente como os títulos funcionam e, ainda, aprender como obter rentabilidade muito maior que a contratada? « Curso Carteira RICA – Renda Fixa e Tesouro Direto »

Clique aqui para conhecer a estrutura do Curso Carteira RICA

Sempre recomendo esse curso porque foi por meio dele que pude compreender como funciona o Tesouro Direto e como investir com estratégia.



→ Valor mínimo

Para aplicar no Tesouro Direto, você precisa comprar, no mínimo, 0,01 título, ou seja, 1% do valor de um título, desde que esse valor respeite o mínimo de R$ 30,00.

→ Tributação e taxas

A tributação do IR segue a tabela regressiva já apresentada.

tabela-IR-regressivo

Quatro observações relevantes:

  1. Evite resgatar um título antes de 30 dias após a compra, pois há incidência de IOF, que varia, regressivamente, de 96% a 0%. Leia mais sobre isso aqui.
  2. Há incidência de IR sobre os cupons de títulos com juros semestrais. A porcentagem dependerá do prazo em que cada cupom for emitido.
  3. Você sempre pagará a taxa de custódia cobrada pela BM&FBOVESPA, de 0,3% a.a. sobre o valor dos títulos.
  4. Pode haver ou não cobrança de taxa pela instituição financeira pela qual você investe. Consulte aqui.

» Dica 3: Os grandes bancos costumam oferecer as taxas mais caras para investir em Tesouro Direto.

Importante lembrar que o IR e o IOF incidem apenas sobre os rendimentos, não sobre o valor principal da aplicação.

Conforme já comentado, ainda há outras opções dentro do universo da renda fixa: Debêntures, Fundos de Investimento, Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA), Letra Financeira, etc..

 

Onde encontrar as aplicações para investir?

onde-encontrar-investimentos

A maior parte dos investimentos apresentados você encontra em seu próprio banco, mas não é recomendável investir por ele, pois o custo é muito mais elevado, apesar da praticidade.

Se você é um pequeno investidor, economizar nas taxas e tarifas bancárias é essencial para obter uma rentabilidade que valha a pena.

Por isso, consulte outras opções, como as corretoras de valores, para iniciar seus investimentos.

Assim, terá acesso mais amplo a títulos privados, com diversas opções de prazos e rentabilidades, ao contrário do que ocorreria caso escolhesse investir pelo seu banco.

Com o aplicativo para Android Investir em Renda Fixa é possível consultar muitas opções de aplicações de renda fixa, de diversas instituições, de forma a escolher a melhor para você.

Veja algumas telas do aplicativo. Não há nenhum tipo de recomendação de aplicação ou de corretoras nessas imagens, são meramente ilustrativas.

renda-fixa-app

Screenshots do app Investir em Renda Fixa (22/02/2016)

 

Para investir no Tesouro Direto, basta abrir conta em uma corretora para ter acesso à área exclusiva de investidores do Tesouro Direto.

A senha é recebida diretamente por e-mail.

Caso tenha dúvida quanto ao acesso a essa área do site do Tesouro, consulte a sua corretora.

Comparação de rentabilidade

comparação-investimentos

 

Para muitos, essa é a única parte que interessa nos investimentos, mas ela não é a mais importante. Ou melhor, não deve ser considerada isoladamente.

Sabe por quê? Porque é preciso conciliar seus objetivos financeiros ao tipo de investimento pretendido.

Se você tem objetivos de curto prazo, não é muito prudente investir em aplicações muito arriscadas por ter rentabilidade maior, pois a chance de perder seu dinheiro é grande.

Mas se o seu objetivo é de longo prazo, pode até arriscar um pouco mais, se esse for o seu perfil.

Deu pra entender um pouco essa questão?

No artigo Investir para crescer: primeiros passos para acumular riqueza, mostrei como calcular a rentabilidade de um determinado investimento.

O que vamos fazer aqui, nesta seção, é comparar rentabilidades entre investimentos com e sem incidência de IR para ajudar na definição da melhor opção para cada objetivo traçado.

O melhor de tudo: você não precisa se preocupar com fórmulas matemáticas. Há uma excelente planilha disponível no Clube dos Poupadores para fazer o trabalho pesado por você.

Antes de baixar a planilha, leia o artigo abaixo, pois ajudará a tirar dúvidas.

« Planilha para Comparação de Taxa de Juros: LCI, LCA, LFT, CDB, Fundos DI e Poupança »

Exemplo: É melhor uma LCA de 95% do CDI ou um CDB de 115% do CDI?

Consideremos 3 cenários:

  1. CDI = 14,13%; Selic = 14,15%; Poupança = 0,6%
  2. CDI = 11%; Selic = 11,25%; Poupança = 0,6%
  3. CDI = 7,5%; Selic = 8%; Poupança = 0,6%

Apenas para simplificar, foi considerada a mesma taxa da poupança para todos os cenários, mas ela varia também.

No primeiro cenário, é possível ver que a LCA supera o CDB até 6 meses. Depois desse tempo, o CDB já se torna mais rentável, mesmo com a incidência de IR. (Verifique outros meses, basta modificar na planilha)

No segundo cenário, o CDB bate a LCA a partir de 12 meses.

Finalmente, no terceiro cenário, CDB já supera a LCA a partir de 6 meses.

A intenção desse exercício não é fazer uma análise aprofundada dos dados, mas mostrar que você precisa comparar os investimentos não só em relação à taxa, mas também quanto ao prazo.

A planilha simplifica o trabalho, pois não há necessidade de calcular manualmente o desconto de IR de investimentos em que há incidência.

Outro ponto a ser considerado quando a aplicação é indexada a um indicador: verifique a tendência dessa taxa. Se for de queda, sua rentabilidade vai diminuir ao longo do tempo.

Então, não se esqueça de comparar esse aspecto. As aplicações prefixadas podem ser uma boa alternativa quando isso ocorrer, ou alguma outra pós-fixada cujo indexador esteja em tendência de alta (ou de manutenção).

 

Outra ferramenta essencial é a calculadora de rentabilidade do Tesouro Direto.

simulaçao-tesouro-direto

Imagem disponível no site do Tesouro Direto

 

A calculadora do Tesouro Direto tem o propósito de simular a rentabilidade dos títulos públicos para balizar a escolha da aplicação.

É possível simular a rentabilidade até o vencimento de cada título ou fazer uma simulação de venda antecipada.

Para os títulos atrelados ao IPCA, Tesouro IPCA+, você deve informar a inflação (ou a estimativa), ao ano, para o período consultado.

Já para o Tesouro Selic, você deve informar a taxa Selic, ao ano, para o período.

Note que isso é uma simulação, ou seja, não significa garantia de que vá receber exatamente conforme a demonstração, pois o mercado é dinâmico.

 

Conclusão

conclusão-investimentos

Agora que já está um pouco mais familiarizado com esse mundo dos investimentos, sente-se animado(a) para começar?

Deixe um comentário abaixo e compartilhe os seus anseios ou, se ainda tiver, os seus medos também. Assim, poderá tirar um peso de suas costas e sentir-se mais seguro(a).

O receio é perfeitamente normal, afinal de contas, não aprendemos sobre isso na escola. Aliás, na maioria das casas ninguém conversa sobre dinheiro. Esse tabu precisa ser vencido de uma vez por todas.

Procure ler mais a respeito dos investimentos, veja qual chama mais a sua atenção e avalie se vai ao encontro de seus objetivos financeiros.

Se tiver condições, invista um pouco mais em conhecimento. Compre livros, ebooks, faça cursos. Você vai potencializar seus ganhos dessa forma.

Caso não tenha previsão de gastos para sua instrução financeira, comece a inseri-la, mesmo que aos poucos, em seu orçamento familiar.

Nesse sentido, vou repetir uma recomendação que já fiz acima e apresentar mais uma. Recomendo porque me ajudaram muito quando iniciei meus estudos.

⇒Curso Carteira RICA: Renda Fixa e Tesouro Direto

⇒Ebook: Como Investir Dinheiro

Compartilhe este conteúdo em suas redes sociais para que mais pessoas se beneficiem e comecem a investir também!

Não se esqueça de fazer seu cadastro no blog para não perder nenhum artigo!

O próximo artigo sobre investimentos será um roteiro completo, com diversas dicas, para investidores iniciantes. [Na verdade, era para o roteiro estar neste artigo, mas escrevi tanto que precisei dividi-lo. Desculpe-me! :/]

  • Oi Mayara, tudo bem? Ficou bacana seu blog, hein? Parabéns! Abraço.

    • Oi, Eduardinho! Puxa, que legal você por aqui, obrigada pela força. O blog ainda está no início, mas espero ajudar as pessoas assim como você faz. Abraço!