FAÇA O DESAFIO MAIS DINHEIRO E SURPREENDA-SE EM APENAS 90 DIAS

Alguma vez você já deve ter dito que “o dinheiro acabou” e o mês ainda não, certo?

Mas você se perguntou por que isso ocorreu? Se sim, encontrou alguma explicação plausível?

Essa situação é mais corriqueira do que você imagina.

A falta de dinheiro é apenas um sintoma, um efeito. Portanto, é preciso entender a causa dessa situação.

Na maioria das vezes, a organização e o planejamento financeiros poderiam fazer toda a diferença!

Ficou curiosa(o) para entender como funciona essa questão? Quer ter mais dinheiro ao final do mês mesmo sem aumentar seus rendimentos?

Continue a leitura para saber mais sobre:

  • O significado do dinheiro para você
  • Por que a forma de encarar o dinheiro faz toda diferença
  • Falta de planejamento: o que fazer?
  • Educação financeira: o caminho mais seguro

Vamos lá? É hora de virar o jogo!

 

O significado do dinheiro

significado-mais-dinheiro

 

A intenção deste item não é trazer o significado do dicionário, isso, na verdade, pouco importa.

A questão realmente relevante é entender o seu modelo de dinheiro: o que ele significa para você? Qual é o peso dele em sua vida? Você está programada(o) para o sucesso, para ficar na média ou para o fracasso financeiro?

Antes de entrar nessas e em outras questões, pense na seguinte pergunta: dinheiro é importante para você?

Pense em sua infância, nas falas de seus pais, avós, tios e conhecidos. O que aprendeu sobre dinheiro com eles?

Acredite: a maioria das pessoas foi moldada, em maior ou menor grau, para ver o dinheiro como algo sem importância, ou até como sujo. Muitas pessoas crescem com raiva de pessoas ricas, mesmo sem motivo aparente.

Você já deve ter ouvido frases como: “dinheiro não compra felicidade”, “amor é mais importante do que dinheiro”, e outras similares.

Pior, se você for mulher, possivelmente, embora não seja regra, já ouviu que precisava “arrumar” alguém bem sucedido para casar, o tal bom partido, ter o cartão de crédito dele para estourar, ser a dona de casa bela, recatada e do lar, e outras bobagens do tipo.

Esqueça tudo isso. Esse condicionamento precisa acabar neste instante.

Dinheiro é, sim, importante. E tem mais: segundo T. Harv Eker

(…) Toda pessoa que diz que dinheiro não é importante não tem dinheiro nenhum. Os ricos entendem a importância do dinheiro e o lugar que ele ocupa na sociedade. Quem tem a mentalidade pobre, por sua vez, valida a sua própria inépcia financeira com comparações irrelevantes. Afirma: “O dinheiro não é mais importante do que o amor.” Ora, essa é uma comparação equivocada. O que é mais importante: o seu braço ou a sua perna? É óbvio que ambos têm importância. – T. Harv Eker

É um pouco duro ler isso, não é? Mas persista, pois vai quebrar os paradigmas que precisam ser reformados.

Agora volte às primeiras indagações: quais são suas respostas às perguntas?

Apesar de ressaltar a importância do dinheiro, não o eleve a um patamar supremo, como se apenas ele importasse. Não é essa a lição.

Perceba qual é a posição desse recurso em sua vida e como você se comporta em relação a ele.

 

A forma de encarar o dinheiro

encarar-mais-dinheiro

 

No tópico anterior, você viu que o dinheiro é importante para a vida de todos, e seu modelo de dinheiro define seu sucesso ou fracasso diante desse recurso.

Assim, outra pergunta se faz necessária: para que serve seu dinheiro?

Se você o encara com importância, então você conduz seu dinheiro, ele é um meio de libertação para o futuro, é sua garantia em emergências, promove sua diversão, propicia novas oportunidades, trabalha para você e, ainda, paga as suas contas.

No entanto, se você o encara sem importância, então é ele que conduz a sua vida. Possivelmente, você sobrevive apenas com o que sobra após a quitação das contas, isso se sobrar alguma coisa.

Pode parecer muito binária essa colocação, mas é para exemplificar de forma mais clara a situação.

Você já deve ter visto casos de pessoas que ganharam milhões na loteria, mas em pouco tempo perderam tudo, ou melhor, gastaram tudo. Você realmente acha que essa pessoa dava a devida importância ao dinheiro?

Observe que simplesmente ter mais dinheiro não garante sustentabilidade financeira.

A descrição da forma de encarar o dinheiro com importância é uma tradução de quem se planeja financeiramente.

Planejar a vida financeira é uma forma de respeitar seu dinheiro, consequentemente, também expressa respeito por você, por seu esforço. Isso, sim, fará você ter mais dinheiro, mesmo sem aumentar suas receitas!

 

Organização e planejamento financeiros: “Desafio Mais Dinheiro” para equilibrar suas contas!

desafio-mais-dinheiro

 

Organizar e planejar sempre terão espaço garantido em qualquer artigo sobre educação financeira. São princípios básicos para qualquer pessoa que deseja ter uma vida equilibrada financeiramente.

No entanto, é muito comum torcer o nariz para o planejamento financeiro, pelo mito criado de que é algo complicado e chato de fazer.

Por favor, acredite em mim: NÃO É!!!

Pode não ser simples no começo, pois será preciso certa disciplina, mas não é nada difícil e será extremamente prazeroso colher os frutos desse ato.

É por isso que quero propor um desafio, um pacto. Experimente fazer um diagnóstico financeiro por 90 dias, apenas 3 meses. Veja o passo a passo do Desafio Mais Dinheiro:

 

Você está gostando deste artigo?

Então escreva seu e-mail abaixo e receba todas as novidades do blog gratuitamente!

 

#1 – Primeiros 30 dias

registrar-mais-dinheiro

 

Durante os primeiros 30 dias, você vai fazer o possível para observar seu consumo, suas necessidades, seus gastos e suas receitas.

Comece a anotar suas despesas e ganhos. Pode ser na caderneta ou no apontamento de despesas, em um aplicativo de celular, em uma planilha, não importa. Só não deixe de anotar.

Faça categorias de despesas para facilitar a análise dessas anotações ao final do período.

Por exemplo, as receitas podem vir de salário, aluguel, pensão, férias, etc.

Você possui despesas com habitação, transporte , saúde, educação, alimentação, lazer e outras.

Sinta-se livre para especificar da maneira que achar mais apropriada.

Veja como fazer isso com mais detalhes neste artigo.

 

#2 – Avaliação

avaliar-mais-dinheiro

Se você nunca fez um diagnóstico, certamente vai se surpreender com suas anotações. Hora de analisar os dados, mas sem complicações!

Você deve consultar seu extrato bancário e do cartão de crédito para confirmar os registros, caso tenha usado débito ou crédito. Não se esqueça de lançar as parcelas de compras passadas.

  • Receitas: Qual foi o somatório de suas receitas? Considere apenas o ganho líquido, ou seja, após as deduções de impostos e outros descontos.
  • Despesas: Some as suas despesas por categoria. Qual foi o resultado para cada uma? E qual foi o valor total de suas despesas?
  • Diferença: Subtraia as despesas das receitas. O resultado foi positivo ou negativo?

Como foi a experiência de anotar tudo? Você já havia percebido como gastava seu dinheiro? O que mais a(o) surpreendeu? Os gastos pequenos fazem ou não diferença?

Nos 30 primeiros dias não assumimos nenhum compromisso em relação ao seu consumo ou despesas, mas agora isso vai mudar, principalmente se seu saldo foi negativo.

Avalie atentamente os seus apontamentos. Houve exagero em algum consumo? Comprou algo no impulso? Fez muitas compras parceladas?

Como estão as contas de casa, como água, energia elétrica e, também, as compras de supermercado? Sempre há espaço para economizar.

A lição desse passo é a conscientização de seu consumo, ou de sua família, de forma a “atacar” os pontos certos. E isso não quer dizer, necessariamente, cortar gastos, mantenha isso em mente.

O que você tentará, a partir de agora, é manter as suas despesas básicas dentro de 50% de seus rendimentos líquidos totais.

Ou seja, se você ganha R$ 1.800,00 líquidos, deve tentar gastar, no máximo, R$ 900,00 com elas. Se ganha R$ 3.000,00 líquidos, vai gastar, no máximo, R$ 1.500,00.

Por enquanto, considere dentro desse percentual os gastos com moradia, saúde, alimentação, transporte e educação.

E os outros 50%? A sugestão inicial é dividir em outras 3 partes: lazer (20%), reserva de emergência (10%) e investimento (20%).

 

#3 – Próximos 60 dias

60-dias-mais-dinheiro

 

Bom, a essa altura você já deve ter balançado a cabeça diversas vezes e me chamado de tolinha por sugerir esses disparates. Eu entendo o sentimento.

Mas afirmo, com toda convicção, que se você tentar, se colocar um pouquinho de dedicação nessa tarefa, nunca mais deixará de fazer isso, pois colherá muitos resultados positivos.

Por isso, nos próximos 60 dias, você deve fazer o possível para adequar o orçamento a sua realidade financeira. Não se esqueça de manter as despesas básicas dentro da limitação dos 50% de seus rendimentos líquidos. Continue a anotar seus gastos!

Comentei acima que conscientizar o consumo não significa apenas cortar, mas ajustar, adequar. É exatamente isso que você fará para ter mais dinheiro.

Ao reduzir suas despesas básicas, poderá usufruir de outros benefícios do dinheiro.

Gastar com lazer não é desperdício, desde que seja coerente e sem exageros, é claro. Todos nós temos necessidade e direito de nos divertir.

Inicialmente, dedique 20% de suas receitas com lazer. Não ultrapasse esse valor!

A partir de agora, você começará a alocar uma quantia para montar uma reserva de emergência, que será seu porto seguro em imprevistos. 10% devem ser separados para esse fim. Você pode deixar esse valor na própria caderneta de poupança.

Dica: Assim que receber seu salário, tire esses 10% e guarde na poupança para não ter que guardar apenas as sobras – isso se sobrar!

Os outros 20%, dedicados a investimentos, só serão alocados para esse fim caso você não tenha dívidas.

Se estiver com dívidas no cheque especial, crédito rotativo ou alguma outra que cresça descontroladamente, procure fazer a renegociação (clique aqui para saber como) e utilize esses 20% para a quitação dessa pendência.

Futuramente você entenderá o porquê dessa medida, mas isso já é assunto para outro artigo.

Caso esteja com as contas em dia, você pode começar a fazer seu dinheiro trabalhar de forma mais efetiva, a fim de realizar seus objetivos financeiros.

Conheça algumas opções seguras para investir neste link e dê o primeiro passo para a realização de seus sonhos.

Esses percentuais sugeridos estão em fase de adequação, lembre-se disso. Após o período de avaliação, você será capaz de reajustá-los, se for o caso.

A título de exemplo, veja a sugestão de percentuais de T. Harv Eker, do livro Os Segredos da Mente Milionária:

  • 50% para necessidades básicas;
  • 10%  para instrução financeira;
  • 10% para poupança de despesas de longo prazo;
  • 10% para doações;
  • 10% para diversão; e
  • 10% para a liberdade financeira.

Após esse período de 60 dias, avalie novamente os percentuais e faça os ajustes necessários. Evite modificar o percentual de 50%, a não ser que consiga diminuí-lo, e evite diminuir aqueles que visam a sua acumulação, como a reserva de emergência e para investimentos. É a construção de seu futuro que está em jogo.

Entenda:

O hábito de administrar o dinheiro é mais importante do que a quantidade de dinheiro que você tem. – T. Harv Eker

 

Educação financeira: o caminho mais seguro

Educar-se financeiramente é o caminho mais seguro para atingir o equilíbrio das contas, ter mais dinheiro, realizar sonhos e objetivos, evitar dívidas, comprar com consciência e atingir a independência financeira.

Ao colocar em prática essas medidas simples, perceberá o poder da educação financeira em sua vida.

Esteja apenas ciente de uma coisa: esse é um caminho sem volta, felizmente!

Aos poucos, com persistência, disciplina e determinação, você vai adquirir maior autocontrole e terá plena consciência de como utiliza seu dinheiro.

Aprofunde-se um pouco mais nas questões financeiras. Leia bons artigos, procure livros para comprar, veja vídeos no youtube, faça cursos online, há muito material disponível gratuitamente.

Aqui mesmo, em diversos artigos do blog, indico páginas, e-books, livros, cursos para sempre manter-se “em forma”. Dê uma boa olhada pelas categorias +Organização, +Equilíbrio, + Investimento e +Futuro.

 

Conclusão

conclusao-mais-dinheiro

 

Você vai adquirir, durante esses 90 dias, o hábito de anotar suas despesas e receitas, e isso será muito benéfico para seu controle pessoal.

Muitas pessoas, muitas mesmo, não tem a menor noção de quanto gastam com qualquer coisa. Por isso, há tantos endividados e desequilibrados financeiramente.

Você não pode deixar o dinheiro controlar sua vida, é você quem deve controlá-lo.

Se quiser continuar com os registros por tempo indeterminado, ótimo, vai ser excelente para sua saúde financeira.

Se não quiser anotar despesa por despesa, você pode separar um dinheiro específico para certos gastos, e utilizar daquela fonte até terminar. A diferença é que você já terá feito a alocação da quantia máxima a gastar, então pode ficar mais tranquila(o).

A maior importância desse desafio é você adquirir discernimento em relação ao seu consumo. Tenho certeza de que nunca mais vai comprar algo sem pensar duas vezes.

Continue a acompanhar o blog para complementar esse desafio. Ainda há muito por fazer, essa é apenas a primeira parte do desafio! Cadastre-se logo abaixo para não perder nada!

Deixe um comentário caso tenha alguma dúvida ou queira contar sua experiência. Isso vai ajudar outras pessoas também!

Se este artigo foi útil para você, compartilhe-o em suas redes sociais!