BLACK FRIDAY OU RED MONDAY? COMO SE PREPARAR PARA AS LIQUIDAÇÕES!

A Black Friday passou, mas muitos brasileiros sentirão seus efeitos no bolso durante muito tempo, principalmente pela falta de planejamento. Você é um deles? Já começou a semana pós-“liquidação” no vermelho?

Uma notícia do Sensacionalista me chamou a atenção: Depois da Black Friday, brasileiros experimentam a Red Monday (O termo “Red Monday” pode ser entendido como “Segunda vermelha”).

Apesar de ser uma notícia humorística, pode-se dizer que ela representa, com certa fidelidade, a realidade de milhares de pessoas.

Comprar na Black Friday não é algo condenável, pois é possível achar boas ofertas, mesmo no Brasil, local em que o evento é conhecido como “Black Fraude”.

O grande problema é achar que a oportunidade é imperdível, mesmo que determinado item não seja prioridade, ou nem figure numa possível lista de compras de alguém.

A grande maioria das pessoas não percebe que cai em uma cilada, devido à sensação de urgência, de oportunidade única. Por isso, o planejamento é tão importante.

Ele evitará que essa abordagem agressiva leve o consumidor a comprar algo que não precisa, mesmo por um bom preço. Afinal de contas, não é somente isso que deve determinar a compra dos produtos.

Como fazer, então, para se planejar nessas situações? (Seja para Black Friday ou qualquer outro evento de liquidação)

Primeiramente, verifique quais itens fariam parte de uma possível compra futura, que você já percebeu ser vantagem comprar em determinadas datas.

Faça uma estimativa de preço dos produtos. Com isso, você já terá uma ideia de quanto precisará poupar por mês, basta dividir o valor total pela quantidade de meses até a liquidação (sem considerar os possíveis juros de uma aplicação financeira).

Por exemplo, suponha que você quer fazer um upgrade em seu computador no próximo ano, e já percebeu que há promoções boas na Black Friday para itens desse tipo.

Você fez uma lista daquilo que vai comprar (fonte, placa mãe, memória, placa de vídeo e processador), e estimou que gastaria em torno de R$ 3.000,00.

No entanto, se comprar na Black Friday, obterá um desconto de 25%, ou seja, desembolsará R$ 2.250,00.

Considerando o período de 11 meses para a poupança, em vez de R$ 273,00, por mês, você guardaria R$ 205,00.

Se deixar o dinheiro apenas na caderneta de poupança, a 0,60% ao mês, resgatará R$ 2.337,83.

Se aplicar em algo um pouco mais rentável, a 0,85% ao mês, por exemplo, você resgatará R$ 2.373,33.

Assim, você poderá aproveitar, com muita tranquilidade, as oportunidades que surgirem.

Pode ser até que desista de fazer o upgrade por causa de algo que passou a ser prioridade no meio do caminho. Pelo menos, você já estará preparada(o).

Com isso, quis apenas mostrar que é possível aproveitar a Black Friday sem culpa e sem prejudicar o orçamento durante meses a fio. Mas é preciso se planejar para isso.

Estenda esse exercício para outros gastos e veja como conciliar a sua realidade financeira com as suas necessidades e desejos.

Aprenda a planejar adequadamente as suas finanças. Os resultados serão muito proveitosos para você e sua família.